EXCESSO DE ÁGUA QUENTE E USO INADEQUADO DE PRODUTO NOS FIOS PROVOCAM DERMATITE SEBORREICA

Para compensar os períodos de ressecamento dos fios capilares, mesmo no verão, é comum a utilização de shampoos mais cremosos e leitosos, apesar do couro cabeludo já ser rico em glândulas sebáceas. Outra questão é que, independentemente da estação, algumas pessoas preferem o uso de água quente em banhos mais prolongados, o que também agride o couro cabeludo. Dessa forma, a região é afetada pela vasodilatação dos pequenos vasos da pele, além de causar vermelhidão, segundo a dermatologista Claudia Marçal, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

Por isso, para combater essa agressão e proteger o couro, ocorre a produção de óleo ou sebo e são formadas pequenas películas, crostas ou placas descamativas. Essa gordura petrificada se junta a restos de proteína morta no couro cabeludo, o que favorece a inflamação.

Outras causas e fatores

É importante ressaltar que situações como stress e problemas emocionais também podem contribuir para o surgimento da dermatite seborreica. A dermatologista afirma que procedimentos químicos, como escova progressiva, em caso da presença de alguns componentes, também tendem a irritar o couro cabeludo. “Muitas vezes, a parafenildiamina presente nas tinturas e agentes descolorantes, à base de amônia ou água oxigenada de maior concentração, podem promover irritação, coceira, vermelhidão e descamação”.

Para a médica, a fisiopatogenia da doença ainda não é 100% esclarecida pela medicina. Ela menciona outros fatores que podem influenciar no surgimento da inflamação no couro cabeludo. “Acredita-se que há o comprometimento das glândulas seborreicas produzindo óleo por vários gatilhos como stress, falta de sono, fadiga crônica, ingestão de alimentos gordurosos, bebidas alcoólicas, medicamentos, na doença do Parkinson e outras doenças neurológicas, além de predisposição genética, muitas vezes com incidência familiar e hipervitaminose”.

Principais sintomas da seborreia

As escamas de cor branca, prateadas ou amareladas – chamadas popularmente de caspas – podem estar acompanhadas de coceira, ardência, desconforto e vermelhidão. Para a especialista, a seborreia, ao contrário de um quadro pontual ou ocasional, produz sintomas clínicos “mais brandos com lesões menores e em pequena quantidade”.

Em situações mais críticas, além das lesões descamativas, com intensa coceira, que avança para a pele, ocorre também a queda capilar nessa crise aguda. Para a dermatologista, essa perda de fios está muito relacionada ao estado emocional do paciente.

Cláudia Marçal também destaca que a dermatite seborreica ou caspa não é uma doença contagiosa. “A inflamação não passa de uma pessoa para a outra, uma vez que é uma condição de predisposição por algum gatilho específico [uso inadequado de produtos, stress, etc.] ou tendência genética”.

Tratamento das inflamações

Algumas mudanças de hábitos podem auxiliar no tratamento da descamação do couro cabeludo durante o inverno. Uma das alternativas, de acordo com a dermatologista, é “melhorar a temperatura da água pelo menos na última enxaguada, usar shampoo mais neutro à base de extratos vegetais transparentes, condicionador e máscaras, assim como óleos apenas no comprimento dos fios”.

Claudia Marçal menciona que, dependendo da situação, é importante buscar auxílio de um dermatologista para indicar um shampoo adequado ao uso, especialmente, em dias frios. Entretanto, quando a dermatite seborreica está entre o nível moderado ao grave, a especialista recomenda que, além do controle da temperatura da água, é importante secar os cabelos – especialmente – antes de enfrentar temperatura mais fria. É essencial também evitar dormir com os cabelos molhados.

Para a dermatologista, é importante usar produtos de tratamento indicados pelo médico, desde loções e shampoos à base de componentes como ácido acetilsalicílico, shampoos à base de Aloe Vera, Calêndula, Camomila, dentre outros. “Em caso de crise aguda e severa, muitas vezes, é indicado o uso de corticoides para o controle inflamatório. Quando a pele ao redor é acometida, podemos indicar cremes ou loções à base de corticoide ou pimecrolimus ou tacrolimus, conforme orientação e diagnóstico”.

70% das pessoas podem ser afetadas pela doença

A dermatite seborreica é uma doença dermatológica que atinge 20% da população mundial. Vale destacar que mais de 70% das pessoas terá, ao menos, “um episódio leve ou moderado” ao longo da vida.

“Em torno de 3% dos portadores desta inflamação crônica têm uma manifestação mais exuberante e persistente. Preferencialmente, a inflamação ocorre no couro cabeludo, mas pode se estender para a face, tórax, axilas, ouvidos e pelos pubianos”, afirma a dermatologista Claudia Marçal.

Jornalista responsável: Letícia Veloso (Mtb 55.294)
leticia.veloso@holdingcomunicacoes.com.br
Tels: 11-2061-7919/2061-5709 | Cel: 11-96825-9811
Rua do Oratório, nº 1606, conj.603
CEP: 03116-000 – Mooca / São Paulo – SP

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *